MPT ajuíza ação na justiça para interditar galpão do Boi Garantido

78

Após tomar conhecimento de acidente de trabalho ocorrido no dia 4 de julho, a procuradora Fabiola Salmito entrou com a ação de interdição

 

Da Redação | CNA7
[email protected]

A Ação Civil Pública com pedido de tutela de urgência foi subscrita pela procuradora do Trabalho, Fabíola Salmito de Lima, ontem (5/6), após constatar descumprimento de inúmeras normas relacionadas à saúde e segurança dos trabalhadores e tomar conhecimento de acidente com um trabalhador.

A procuradora do Trabalho realizou a inspeção na cidade Garantido na terça-feira (4/6), quando constou o descumprimento de inúmeras normas relacionadas à saúde e segurança do trabalhador, destacando-se o alagamento do local e obstrução das rotas de fuga, colocando em risco a vida, a saúde e a integridade física dos artesãos e artistas, em especial os que trabalham com solda. Na diligência os trabalhadores relataram, dentre outras irregularidades, a não anotação da Carteira do Trabalho e Previdência Social (CTPS), não pagamento dos salários e não fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Fotos: Flamínia Thomaz (MPT/PRT11)

Após tomar conhecimento de acidente de trabalho ocorrido no dia 4 de julho, a procuradora Fabiola Salmito entrou com a ação de interdição.

Em despacho, o Juiz do Trabalho Titular, Izan Alves Miranda Filho, decidiu determinar diligência no galpão, em caráter de urgência, nesta quinta-feira.

Fotos: Flamínia Thomaz (MPT/PRT11)