Festa é encerrada pela polícia por poluição sonora e consumo de drogas

558

Da Redação | CNA7
[email protected]

Uma ação coordenada por policiais civis da Divisão Especializada em Meio Ambiente (Dema) resultou, na madrugada deste sábado (2), no encerramento de uma festa de música eletrônica, no município de Santa Bárbara do Pará, Região Metropolitana de Belém. Realizada em conjunto com a Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) e apoio da Companhia Independente de Polícia com Cães (Canil), do Comando de Missões Especiais (CME), a operação constatou diversas irregularidades no local. Entre elas, consumo de entorpecentes, poluição sonora e falta de autorização do Corpo de Bombeiros Militar e da Secretaria de Meio Ambiente do município para realização da festa.

Todos os frequentadores foram revistados pelos policiais

As equipes policiais foram ao local para apurar denúncia de poluição sonora e consumo de entorpecentes em uma “rave” – festa realizada geralmente em sítios ou galpões, de longa duração e com música eletrônica tocada por DJs (disque jóqueis). O evento era realizado em uma chácara, no distrito de Pau D’Arco, em Santa Bárbara do Pará. Policiais civis e militares, com apoio de cães farejadores, fizeram uma vistoria em todo o local em busca de drogas. Segundo a delegada Adriana Magno Barbosa, da Dema, foram encontradas cerca de 600 pessoas, e todas foram revistadas pelos policiais. “Muitas delas estavam alojadas em barracas improvisadas”, disse a delegada.

Ela apurou ainda que a festa foi iniciada na sexta-feira (1º), e havia sido programada para terminar só no domingo (3). Trinta DJs se alternavam para dar continuidade à festa. Diante das irregularidades constatadas, ressaltou a delegada, o evento foi encerrado.

Alguns participantes da festa estavam alojados em barracas de camping

Seis pessoas encontradas no local em situação de consumo de drogas foram conduzidas para a Dema e autuadas em TCOs (Termos Circunstanciados de Ocorrência) por consumo de entorpecentes. Por ser considerado crime de menor potencial ofensivo, as pessoas foram liberadas após o procedimento policial. A aparelhagem usada no evento foi apreendida. O dono da festa vai responder por crime de poluição sonora prevista na Lei de Crimes Ambientais.

Fotos: Ascom/Polícia Cívil