Equinócio das Águas reúne cultura e ciência no Monumento Marco Zero do Equador

83

A programação iniciou pela manhã e finalizou com atrações musicais. Fenômeno do Equinócio ocorreu às 18h58

 

Da Redação | CNA7
[email protected]

Ao som do batuque dos tambores, exatamente às 18h58 desta quarta-feira, 20, acontecia o Fenômeno do Equinócio, que marca a mudança de estações nos hemisférios norte e sul, em todo o planeta. A Secretaria de Estado do Turismo do Amapá (Setur) realizou a programação do Equinócio das Águas, no monumento Marco Zero do Equador, em Macapá, enaltecendo a cultura e a ciência entre jovens de escolas públicas e particulares e o público presente.

Estudantes, turistas e visitantes locais participaram da programação que começou pela manhã com gincanas educativas e seguiu pela tarde com o ‘Mix Tour Musical’ onde se apresentaram a banda Sl.1, a cantora Elisângela Ramos, o grupo de marabaixo da União Folclórica do Igarapé do Lago, Fiéis de Nossa Senhora da Piedade e também o cantor Ramon Frazelly.

Decidimos fazer algo diferente para marcar o fenômeno. Contamos com os alunos para a parte científica e a presença dos demais visitantes que puderam aproveitar o conteúdo e as atrações culturais. Assim, as pessoas que ainda não conheciam puderam ter uma nova perspectiva sobre a relação desse evento com o Amapá”, ressaltou a secretária de Estado do Turismo, Maria Luciane Costa.

O estudante Diogo Ferreira, 15 anos, curtiu muito a programação. “É muito bom poder relembrar o conhecimento científico sobre o Equinócio, a explicação pelos guias de turismo foi muito boa e, com certeza, o conhecimento foi bem aproveitado por todos nós através das dinâmicas e gincanas”, relatou o jovem.

No monumento Marco Zero do Equador, a recepção de turistas é constante. A Setur conta com intérpretes de espanhol, francês e inglês diariamente no ponto turístico. O empresário Antônio Espeleta é de São Paulo e faz parte de um grupo filantropo chamado Legião da Boa Vontade, que veio realizar um ato solidário em Macapá. Para ele, o conhecimento repassado foi o que mais chamou a atenção.

“Estamos em um grupo de quatro pessoas, apenas de passagem pelo Amapá, e demos sorte de chegar nesta época do Equinócio. Aprendemos muito com os guias de turismo do ponto turístico e vamos repassar essas informações para nossos amigos em outros estados”, afirmou o Espeleta.

Entre os atrativos da programação, artesanatos das comunidades Maracá e Cunani estavam em exposição. A tradicional gengibirra, bebida alcóolica feita com gengibre açúcar e água, também estava disponível para degustação, pela empresa Mangarataya, que está há pouco tempo no mercado, mas já faz sucesso com a venda de gengibirra e de geleia de gengibre.

Equinócio

O fenômeno se dá pelo alinhamento do sol com a linha imaginária do Equador, que divide os hemisférios Norte e Sul do planeta, marcando a troca das estações. A sombra do sol que reflete no obelisco do monumento, em Macapá, fica simétrica nos dois polos, demonstrando o fenômeno. Durante o Equinócio, o dia e a noite possuem a mesma duração. O evento acontece duas vezes ao ano no Amapá, em março e em setembro, e atrai centenas de turistas para o estado.

De acordo com Jeová Pereira, diretor de planejamento da Setur, o Equinócio da Primavera, realizado em setembro, vai ter novidades como a I Jornada de Turismo do Meio do Mundo, um evento que vai reunir os secretários e dirigentes de Turismo da região Norte no Amapá para tratar sobre políticas públicas do segmento. “Já estamos trabalhando o encontro dos gestores e dirigentes do turismo de todos os estados da região Norte. Vamos fazer um encontro no Amapá ao estilo das grandes feiras internacionais, com rodadas de negócios, exposição de stands e atrações culturais”, concluiu.

Fotos e texto: SECOM/AP