Campanha de vacinação contra o H1N1 começa em Manaus e mais 33 municípios

63

O público-alvo é formado por crianças de 6 meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias, gestantes, profissionais de saúde e educação da rede pública e privada, indígenas, idosos com mais de 60 anos, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis

 

Da Redação | CNA7
[email protected]

A campanha de vacinação contra a Influenza (gripe) começou nesta quarta-feira (20/03) em Manaus e mais 33 municípios do interior do Estado. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Susam), as vacinas, enviadas pelo Ministério da Saúde no último fim de semana, já foram entregues pela Coordenação Estadual do Programa Nacional de Imunização (PNI/AM) a 59 municípios. Tonantins e Benjamin Constant recebem nesta quinta-feira (21), completando a entrega.

Ao participar da abertura oficial da campanha, que foi antecipada para interromper o avanço da gripe H1N1 no estado, o vice-governador e secretário estadual de Saúde, Carlos Almeida, ressaltou o esforço de logística realizado entre o Governo do Estado e os municípios para que todos possam iniciar o quanto antes a vacinação. O interior está recebendo 654.790 doses de vacina para imunizar seu púbico-alvo. Já foram entregues 620.230 doses.

“O problema tem sido justamente a cheia atípica e as longas distâncias, estamos com muitas localidades isoladas. A Defesa Civil está atuando nessa situação e nós estamos num esforço, com a Casa Militar e com os municípios, para que até o dia 21 (quinta-feira) esses municípios já estejam recebendo suas vacinas”, disse o secretário, que ainda ressaltou o esforço que as prefeituras terão que fazer para abastecer todas as salas de vacinação nas sedes e nas áreas rurais.

A abertura oficial da campanha aconteceu na manhã desta quarta-feira, no Parque do Idoso, com a participação do Prefeito de Manaus Arthur Neto, do secretário nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, do secretário municipal de Saúde de Manaus, Marcelo Magaldi, entre outras autoridades. Carlos Almeida, que levou o filho Carlos Neto para vacinar, fez um apelo para a necessidade de imunização de crianças, idosos e demais pessoas que estão no grupo prioritário da campanha.

“A vacina contra H1N1 é um dos meios de proteção e ela se destina aos grupos prioritários. E o motivo é porque as nossas características de vigilância, tanto nacional quanto estadual, têm mostrado a necessidade de imunização desses grupos. Todo esse movimento nacional é para evitar a expansão de algo que pode ser contido nesse momento e o apoio incondicional do Governo Federal tem sido essencial para esse trabalho, assim como a participação do município de Manaus”.

Grupos prioritários – O público-alvo é formado por crianças de 6 meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias, gestantes, profissionais de saúde e educação da rede pública e privada, indígenas, idosos com mais de 60 anos, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis; as portadoras de outras condições clínicas especiais como doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias (Síndrome de Down, Síndrome de Edward, Síndrome de Patau, Síndrome de Warkany).

Segundo o secretário nacional da SVS, Wanderson, os grupos foram estabelecidos com base em estudos. Também é analisada a capacidade de produção, logística e distribuição. “Obviamente que, tendo possibilidades, nós faremos a revisão. Temos um grupo técnico que estabelece esses critérios, que são discutidos com a Organização Mundial da Saúde. Temos que reiterar que a vacina não é o único instrumento, nós temos as medidas não farmacológicas que são tão importantes quanto a vacinação”, alertou.