Amazonastur debate no Ministério do Turismo ações para desenvolver o setor no Amazonas

138

Na pauta, o debate sobre ações para diversificar a oferta turística, ampliar a promoção e atrair mais turistas para o Amazonas

 

Da Redação | CNA7
[email protected]

A presidente da empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Roselene Medeiros, esteve reunida, nesta terça-feira (19/2), com o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do Ministério do Turismo, Aluizer Malab. Na pauta, o debate sobre ações para diversificar a oferta turística, ampliar a promoção e atrair mais turistas para o Amazonas.

Um dos projetos contempla a expansão do Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques para a realização de grandes eventos. A obra, no valor de R$ 40 milhões, está sendo executada com recursos do Ministério do Turismo e deve ficar pronta ainda este ano.

“Precisamos atuar para que a região ganhe competitividade em serviços e se torne um destino mais atrativo, inclusive para o mercado doméstico”, destacou o secretário do MTur.

Uma das medidas previstas para atrair mais visitantes ao Amazonas é a melhoria da conectividade aérea internacional, com o objetivo de integração dos destinos amazônicos mais procurados pelos turistas estrangeiros.

Duas novas rotas aéreas estão sendo estruturadas a partir de Manaus: uma para a capital do Equador, Quito, via Letícia (Colômbia), outra para Porto Maldonado (Peru), com escala em Rio Branco, no Acre. Atualmente, os turistas que estão no Peru, Equador e Colômbia e desejam conhecer a Amazônia brasileira se conectam com Manaus via São Paulo ou a partir da capital do Panamá.

Potencial – A presidente da Amazonastur ressaltou que a região também recebe grande fluxo de visitantes que chegam por cruzeiros fluviais. A atual temporada, iniciada em novembro, deverá encerrar em abril totalizando 15 navios estrangeiros atracados no porto de Manaus nesse período. Os navios são oriundos, principalmente, da Europa e Estados Unidos.

Os roteiros de pesca também são atrativos da região de Barcelos (distante 401 quilômetros de Manaus), que oferece barcos-hotéis aos amantes da pesca esportiva. Roselene Medeiros solicitou a inclusão dos hotéis flutuantes como categoria de meio de hospedagem entre os serviços turísticos de cadastro obrigatório no Cadastur.

“Estamos nos reestruturando e contamos com o apoio do Ministério do Turismo para participarmos de feiras e eventos, dentro e fora do Brasil, onde possamos promover os destinos amazônicos e nos recolocarmos no mercado doméstico e internacional. Temos potencial e atrativos diferenciados”, ressaltou a presidente da Amazonastur.

O Amazonas, que em 2014, ano da Copa do Mundo em Manaus, recebeu mais de um milhão de turistas, fechou 2018 com 600 mil visitantes, voltando ao patamar de 2009.

Presenças – Durante a reunião desta terça-feira em Brasília, Aluizer Malab estava acompanhado da coordenadora-geral de Qualificação Turística, Neusa Portugal, e do diretor do Departamento de Promoção e Produtos Turísticos, Sérgio Flores. Completavam a comitiva da Amazonastur, além de Roselene Medeiros, a diretora de Marketing, Ana Claudia Rego, e o assessor técnico, Orlando Câmara.